1) Hail guerreiros da Torqverem!! Gostaria de iniciar esta agradecendo pela entrevista e que contassem como se deu o inicio da horda.

- V. A. Necrovisceral: Saudações a todos os seres que apoiam o Oculto Metal Extremo em nosso país, e em especial a Odicelaf por ceder este espaço para exaltarmos nossa filosofia e arte. Não vejo um “início” para o projeto ou horda Torqverem, já que é uma extensão da minha vida e das interpretações que tenho do universo. Com o passar dos anos, criei este canal para expressar toda a energia de meus mais íntimos e obscuros abismos e filosofias, a fim de manter a sanidade e manifestar a guerra que se formava em todos os planos da minha existência e consciência. Para poder formalizar um “começo” estipulei a época quando as primeiras criações foram registradas em 1998 e.v., e a data de “nascimento” do projeto é 2002 e.v. quando as composições foram executadas em Porto Alegre e criei um logotipo para a então horda Torqverem.

 

2) Tem sido muito complicado manter a Torqverem na ativa durante estes anos de atividades? Quais são as maiores vitórias alcançadas por vocês até o presente momento?

- V. A. Necrovisceral: A Torqverem é uma expressão direta e sincera, criada para expressar os ideais de uma vida concretizados em arte, é algo que flui naturalmente e faço qualquer coisa para manter a chama viva. Anos poderiam passar sem gravações ou celebrações, e ainda permaneceria ativa enquanto eu estivesse vivo! Acredito que a maior vitórias foi quando encontrei reais guerreiros e irmãos para expressarem tudo isso ao meu lado, e a concretização do nosso álbum Vber Crvciatvs, que acabou provando que poderíamos manifestar em um material físico tudo que até então era um universo paralelo e particular.

 

3) Tenho aqui em minhas mãos a demo Opus Infernii de 2010. Quantas cópias foram produzidas desta obra e quantas foram distribuídas ate o presente momento?

- V. A. Necrovisceral: A demo Opvs Infernii (2010 e.v.) foi a regravação do material “experimental” Funeral da Alma Cristã (feito em apenas 40 cópias numeradas em sangue no ano de 2006/07 e.v.) que contou com a presença de violino nas passagens atmosféricas, Opvs Infernii foi quando começamos a dar os primeiros passos na divulgação de nossa arte (até então feita de forma particular), foram produzidas apenas 250 cópias também numeradas em sangue, e não existem mais cópias para distribuição.

 

4) Poderia me explicar esta arte da capa de Opus Infernii? Qual o seu significado e idéia por traz desta imagem?

- V. A. Necrovisceral: A Torqverem é abstrata. Vejo a interpretação da nossa energia desde o início como individualista... Deixo que a arte flua através dos labirintos para que apareçam os significados da informação que estou manifestando e que cada um interprete de forma única, baseados na sua visão de mundo. As letras, figuras e símbolos na Torqverem são feitas por mim, já que enxergo a arte e filosofia como uma só coisa que pode se expressar de várias maneiras, contendo o mesmo sentido. A ideia na arte da capa de Opvs Infernii resume: Exaltação da energia e vibrações absorvidas do universo de forma a deixar o ser frente a frente tanto com a criação quanto a destruição pessoal, a vida e morte de sua consciência...  

 

5) Quem criou o logotipo de vocês? Além do nome da horda tem algo mais escrito em meio aos desenhos do logotipo, né? Ou estou enganado?

- V. A. Necrovisceral: O logotipo atual foi criado e manifestado por mim a carvão e sangue artesanalmente, antes dele existiu outro (adequado ao seu tempo, onde raízes e plantas misturavam-se com ossos criando o nome Torqverem), mas a horda tomou novos rumos e decidi fazer não só um novo logotipo, mas um sigilo para exaltar nossa força e criação. Existem no logotipo sigilos e selos que me acompanham e cito nas composições... E os mesmos possuem desdobramentos em outras pinturas e locais que acabam por fechar o ciclo desta obra.

 

6) Como se deu a distribuição e aceitação de Fvneral da Alma Cristã de 2007 e Vrvs Necrovisceral (EP) de 2004? Ainda existem copias destas?

- V. A. Necrovisceral: Fvneral da Alma Cristã foi um álbum que passei mão a mão de uma gravação caseira apenas aos amigos (40 cópias). Nunca tinha divulgado nada da Torqverem a alguém, e foi um passo essencial para ver o que nosso som fazia aos que ouviam e entravam em sintonia... Agora o material Vrvs Necrovisceral foi um ensaio gravado ainda em Porto Alegre com as antigas composições que depois de lapidadas fizeram parte do Opvs Infernii e Vber Crvciatvs e não foi divulgado (exceto aos que acompanharam na época), mas pretendo divulgar o play como bônus nos próximos álbuns da Torqverem.

 

7) A próxima apresentação de vocês será dia 09/06 com as minhas conterrâneas Crucificator e Offertorium de salvador/BA ai em terras paulistas. Como têm sido os shows de vocês e quais as expectativas deste onde terá estas duas bandas de nosso nordeste brasileiro?

- V. A. Necrovisceral: Nossas celebrações são sinceras, e expressamos a real brutalidade no palco, sinto que as apresentações ao vivo são muito melhores do que gravar um álbum, pois estamos ali mostrando que toda aquela energia realmente existe e é parte de nós. É muito bom interagir tanto com hordas quanto culturas diferentes, o Oculto Metal Extremo possui várias formas de se expressar, e cada região também tem um tipo especial de “pegada” que acaba por complementar o necro underground, o Brasil possui esta característica única em poder reunir três ou quatro “países” dentro de um só, é uma grande honra dividir o palco e ideais com irmãos que estão longe, mas erguendo a mesma bandeira nesta guerra.

 

8) Estava observando os cartazes de shows no facebook e vi que vocês foram convocados para fazer 11 shows junto com os gringos do Horna. Como foram estes dias de convivência e turnê com eles?

- V. A. Necrovisceral: Foi uma experiência muito valiosa... Que acabou por me fazer valorizar ainda mais o Metal Negro nacional. O pessoal do Horna é gente boa e fiel a suas convicções, mas toda vez que encontro ou converso com outro guerreiro de fora, vejo que o Brasil se destaca (e muito) na postura e filosofia dentro da “cena”. Somos realmente mais radicais e extremos em tudo que se diz Metal Negro, e aqui temos um “caldeirão” de culturas e vertentes dentro do metal extremo, chamando a atenção de qualquer um que olha de fora. Esse tempo em tour foi uma prova de resistência para nós que tocamos underground extremo, observei dificuldades e também muito esforço nas celebrações que ocorreram... E por outro lado também notei a presença de seres que nem sabiam a razão por estarem lá... Mas tudo isso serviu para fortalecer ainda mais a Torqverem, e provar a nós mesmos que isso é uma continuação da nossa vida e convicções.

 

9) Vber Crvciatvs é o primeiro álbum, lançado no ano de 2011, trazendo 72 minutos de puro Black Metal em formato digipack. Como que anda a divulgação e distribuição deste? É um lançamento independente ou tem algum selo envolvido?

- V. A. Necrovisceral: Vber Crvciatvs é a manifestação de anos de guerra em um material físico, e nem todos sabem que foi gravado em estúdio no ano de 2007 e.v. (e masterizado durante 2007/08 e.v.), portanto para algo tão importante procurei ajuda na divulgação e distribuição com a Eternal Hatred rec. e outros aliados, pois enxerguei a necessidade de um cuidado maior neste novo passo dado pela Torqverem, e meu desejo é disseminar nossa arte, abrindo o abismo através do caos manifestado a todos que sentirem afinidade, e a aceitação está sendo muito boa... Vejo os guerreiros realmente entendendo o que estou tentando passar na arte do Metal Negro e entrando em sintonia.

 

10) Não tenho esta obra aqui em mãos mais deve ser uma bela obra de nosso poderoso Metal brasileiro. Porque Vber Crvciatvs?

- V. A. Necrovisceral: Vber Crvciatvs foi uma criação que saiu diretamente dos meus mais infames abismos, manifestando a visão e corrosão do próprio universo em todos os planos e interpretações da realidade! Portanto para uma criação destas, escolhi um nome de acordo... Vber Crvciatvs, que significa “O nascimento da tortura” (nascimento em sua concepção, na fusão e início primordial...). Trazendo a consciência da vida e morte em um ato concreto de existência, portanto de tortura...

 

11) Qual o real significado da palavra Torqverem? Alguns títulos estão em latim, estas que estão escritas nesta língua também são vociferadas nela? Qual a importância desta língua para a horda?

- V. A. Necrovisceral: O nome Torqverem é uma criação pessoal derivada do latim, vinda da palavra “TORQVERE”, significando “tortura”, então adicionei um sufixo para dar fluência à palavra no gerúndio: Torqverem (“torturando...” ou “se eu torturar...”), o latim é uma língua inconsciente da nossa cultura por ter dado a origem ao português, e ainda presente pelo uso dos deformados e porcos cristãos (deixo claro que utilizo o latim arcaico da época do Império Romano, e não o da prostituta igreja). Fazem parte da composição dos hinos também o português e expressões em egípcio antigo e até sumério (a pronúncia atualmente seria impossível por não termos um nativo fluente, então faço algo próximo dos dialetos ainda utilizados na região da antiga mesopotâmia) e expressões a que tenho afinidade para atingir o ponto máximo da energia e reverberações ritualísticas na obra.

 

12) Obrigado e deixo este espaço para as suas ultimas palavras...

- V. A. Necrovisceral: Agradeço a todos que fazem parte do nosso exército, aos seres que têm afinidade com a horda Torqverem e sua filosofia que flui através do Oculto Metal Extremo. Sempre firme, com Honra e Sangue! HAIL.

-VANA EST IRA INOPS VRIBVS-